No segundo semestre de 2023, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) uniram forças novamente para estudar a vulnerabilidade dos brasileiros diante de golpes envolvendo criptomoedas. O experimento, uma espécie de pegadinha educativa, expôs a fragilidade dos investidores e ressaltou a importância da conscientização sobre fraudes financeiras.

Publicidade

A estratégia foi simples, porém eficaz: criar um site fictício de uma empresa simulando a oferta de investimentos em criptomoedas. A oferta prometia lucros astronômicos e garantias irreais. Sem mencionar que se tratava de uma simulação, a página ficou ativa durante quatro meses, atraindo mais de 170 mil visitantes, vindos de anúncios online e redes sociais.

Seguindo os moldes do primeiro teste, realizado entre novembro de 2022 e fevereiro de 2023, a página da falsa corretora apresentava sinais evidentes de possível fraude. Promessas de lucros sem riscos, erros gramaticais nos textos, e incentivo a esquemas de pirâmide financeira compunham o cenário. Além disso, faltavam informações cruciais como o CNPJ da empresa.

Resultados alarmantes

O relatório divulgado pela CVM na quarta-feira (15) revelou uma estatística alarmante. Quase metade dos visitantes do site fictício demonstraram interesse em investir, evidenciando uma predisposição significativa para cair em golpes financeiros. Na primeira edição do experimento, esse número ficou em torno de 49%.

Publicidade

Ao clicar em qualquer link na página, os visitantes eram redirecionados para conteúdo educativo, alertando sobre a possibilidade de terem sido vítimas de um golpe. Além disso, o site também forneceu orientações para evitar situações semelhantes.

Publicidade

Diante dos resultados, Marcelo Billi, Superintendente de Sustentabilidade, Inovação e Educação da ANBIMA, ressalta a importância de reconhecer os sinais de possíveis fraudes financeiras. Ele enfatiza a necessidade de pesquisar instituições financeiras formais e autorizadas antes de investir qualquer quantia.

A CVM também reitera a importância da vigilância sobre os participantes autorizados no mercado de capitais, disponibilizando consultas gratuitas em seu site. A ANBIMA complementa com uma lista pública de empresas associadas e aderentes aos seus códigos de autorregulação.

Educação contra golpes financeiros precisa ser prioridade

Nathalie Vidual, Superintendente da SOI/CVM, destaca que a iniciativa educativa demonstra o longo caminho a percorrer para conscientizar os brasileiros sobre a prevenção de fraudes financeiras. Por isso, segundo Nathalie, o tema será central na Semana Nacional de Educação Financeira 2024, ressaltando a importância das atividades educacionais promovidas por diversas instituições.

Além disso, devido às intensas chuvas que afetam o estado do Rio Grande do Sul e à situação de calamidade pública reconhecida pelo Governo Federal, o tema da SENEF 2024 foi adaptado para “Proteção Financeira e Solidariedade aos Irmãos do Rio Grande do Sul”.

Source: CriptoFacil

Share.